Imagem relacionada

Próximo à costa ou em mar aberto a mais de 100 metros, ele é um dos peixes mais populares – e nem por isso fácil de fisgar – da pesca de fundo no mar

O pargo, tem perfil superior do corpo bastante convexo e o inferior reto. Sua cabeça é relativamente grande, bem como seus olhos, ao passo que a boca terminal tem dentição pouco desenvolvida. A nadadeira dorsal ocupa quase toda essa região, sobre o tronco e parte da cauda; as peitorais também são grandes, com formato de lança, enquanto pélvicas e anal são menos desenvolvidas. A nadadeira caudal é furcada com as extremidades afiladas. A coloração geral é rosa-a vermelhada, incluindo as nadadeiras, com o ventre branco.

Característica

Distribuição: No Atlântico Ocidental, de Nova Iorque (EUA) até a Argentina.

Porte: Cerca de 60 centímetros e 5 quilos.

Hábitat: Gosta de águas profundas, geralmente entre 30 e 150 metros, sobre fundos de areia grossa, cascalho, rochas ou coral. Forma cardumes numerosos com peixes de tamanhos variados.

Melhor Época: O ano todo.

Os Equipamentos

O pargo é um dos peixes mais populares entre os pescadores que se aventuram mar adentro. Como pode ser encontrado tanto em ilhas costeiras a 20 metros de profundidade quanto em parcéis e cascalhos em alto-mar, o material usado sofre variações. Os exemplares fisgados perto da costa dificilmente ultrapassam um quilo, sendo mais usual encontrar os grandes exemplares em profundidades maiores, além dos 50 metros.

Pesca de fundo

Varas: de 6 a 7 pés, classe 20 a 25 libras para a costeira e 35 a 60 libras para mar aberto, com ação rápida ou progressiva.

Carretilhas e molinetes: De categoria média (molinetes classe 3 000 a 4 000) com capacidade para 120 metros de linha para a costeira e de categoria média-pesada (molinetes classe 5 000 a 8 000) com capacidade para 300 metros de linhas para mar aberto. Carretilhas elétricas classe 500 são boas opções para as grandes profundidades, sendo necessário baterias portáteis ou que a embarcação possua terminais elétricos específicos.

Linhas: Em ambos os casos o multifilamento favorece a sensibilidade e a eficiência das fisgadas. Resistência recomendada de 30 libras para o primeiro caso de 50 libras para o segundo, considerando a possibilidade de captura de peixes maiores.

Líderes: Podem ser dispensados, já que o próprio chicote (ver box) cumpre esse papel. Basta atar um snap reforçado à ponta da linha.

Anzóis: Circulares ou do tipo live bait, 3/0 a 6/0. O importante é que sejam modelos resistentes, com curvatura mais aberta.

Chumbadas: Normalmente de 50 a 80 gramas para a costeira e de 100 a até 500 gramas para mar aberto.

Iscas Naturais: Filés de bonito, tiras de lula, camarões e filés de sardinha.

Iscas artificiais: Capturas podem ocorrer com metal jigs menores, de 20 a 40 gramas, trabalhados rente ao fundo, principalmente na costeira.

Créditos: Bíblia do Pescador